Associe-se à ABJ

A ABJ foi fundada em Brasília no dia 26/07/2009 e é a única entidade nacional de jornalistas que aceita associados com ou sem diploma.

O associado da ABJ receberá a carteira de jornalista e terá seus direitos adquiridos garantidos por ações judiciais coletivas que se fizerem necessárias que serão movidas pela associação.
Para maiores informações entre em contato clique aqui

Assista na Íntegra a histórica Decisão do STF em 17/06/2009

Por 8 votos a 1, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, no dia 17 de junho de 2009, ao analisar o Recurso Extraordinário (RE) 511961, que é inconstitucional a exigência do diploma de jornalismo e registro profissional como condição para o exercício da profissão. Os ministros entenderam que o artigo 4º, inciso V, do Decreto-Lei 972/1969 não foi recepcionado pela Constituição Federal de 1988, e que as exigências nele contidas ferem a liberdade de imprensa e contrariam o direito à livre manifestação do pensamento, inscrita na Convenção Americana dos Direitos Humanos, o Pacto de San Jose da Costa Rica.

 

 

 

 

 

 

 

 

Sites Estaduais (em construção)

Bahia

Rio Grande
         do Sul

Goiás

Minas Gerais
Rio de Janeiro

Santa Catarina

São Paulo

Paraná

Sobre o Conteúdo das Notícias

Não nos responsabilizamos pelas opiniões expostas nos artigos divulgados, que não necessariamente expressam a opinião da entidade. Publicamos noticias de todas as correntes de pensamentos, para que os jornalistas associados e o publico em geral cheguem as suas próprias conclusões.

Novas Notícias

A Petrobras e o alto preço da submissão

Por Giorgio Romano Schutte* — Carta Capital Sujeita às regras de Wall Street desde os tempos de FHC, a estatal cede à pressão de investidores nos EUA No início do ano, a Petrobras fechou um acordo nos Estados Unidos com o escritório de advocacia Pom...


Fevereiro socioambiental no STF

Do Instituto Socioambiental. O Supremo Tribunal Federal (STF) ainda está em recesso, mas a perspectiva para a volta dos trabalhos, em fevereiro, é de votações importantes para a agenda socioambiental. Estão na pauta titulação de territórios quilombola...


Micro e pequenas empresas também precisam de Refis, defende Guilherme Afif

Grandes empresas e setor rural tiveram. Congresso precisa derrubar veto. Modelo tributário precisa de reforma. POR GUILHERME AFIF DOMINGOS. Por Que Derrubar o veto ao refis Nos últimos anos, o país enfrentou uma grave crise econômica. De 20...


O que os órgãos do governo vão fazer contra as "fake news"

Por Beatriz Drague Ramos — Carta Capital A Justiça Eleitoral lidera iniciativas que envolvem a Polícia Federal, a ABIN, o Ministério Público e até o Exército As fake news ainda permanecem em debate no TSE, as novas regras devem ser estabelecidas até...


CAIXA SOB MESMO ATAQUE QUE DERRUBOU PETROBRAS

Diante de um desfile de denúncias de corrupção envolvendo executivos da Caixa, é bom não esquecer da queda da Petrobras. Em três anos de Lava Jato, uma das maiores empresas de petróleo do planeta foi reduzida a cinzas, enquanto a economia do país foi atir...


DEFESA DE LULA EMPAREDA TRF-4 COM NOVA PROVA DE QUE O TRIPLEX É DA OAS

Em petição encaminhada ao desembargador João Pedro Gebran Neto, relator da Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, enviou novos documentos provando que a OAS é a verdadeira dona do...


Maringoni: esquerda sofre com (falso) moralismo demagógico que ajudou a consolidar

A pressão popular sobre o TRF 4 não é apenas legítima: é necessária e urgente Por Gilberto Maringoni Faço campanha política desde 1974. Aprendi a pedir voto, a fazer panfletagens, a tentar convencer o eleitor, a organizar campanhas etc. Sei ler re...


4 problemas para o TRF4 enfrentar que vão além da propriedade do triplex

Cíntia Alves no GGN Desembargadores terão de decidir se juiz pode ser acusador e se réu pode ser condenado só com delação sem provas A notícia de penhora do triplex da OAS para pagar dívida junto a um credor incendiou ainda mais o debate sobre o jul...


O emprego formal desaparece, a pobreza e a desigualdade avançam

Por Rodrigo Martins — Carta Capital Desde 2014, o Brasil perde 1 milhão de postos de trabalho com carteira assinada por ano. Em dois anos, ganhou 8,6 milhões de miseráveis O País encerrou 2016 com 24,8 milhões de brasileiros vivendo com menos de um ...


Useful links