REFORMA TRABALHISTA VAI EXTINGUIR MAIS DE 3 MIL SINDICATOS, DIZ MINISTRO


O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, prevê que com a nova lei trabalhista, que entrou em vigor neste sábado, 11, deverá extinguir mais de três mil sindicatos, com o fim da contribuição sindical obrigatória; "Eu acredito que deverá reduzir em 30% dos 11,3 mil sindicatos [dos trabalhadores]", declarou; segundo Nogueira, essa redução vai acontecer porque parte dos sindicatos vai se fundir a outros; atualmente, segundo o ministro, há cerca de 16,8 mil sindicatos no Brasil, dos quais 5,1 mil são patronais; restante, cerca de 11,3 mil, representa os trabalhadores
11 DE NOVEMBRO DE 2017 ÀS 09:36

BRASIL 247 - O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, prevê que com a nova lei trabalhista, que entrou em vigor neste sábado, 11, deverá extinguir mais de três mil sindicatos, com o fim da contribuição sindical obrigatória.

"Eu acredito que deverá reduzir em 30% dos 11,3 mil sindicatos [dos trabalhadores]", declarou o ministro em entrevista ao portal G1. Segundo Nogueira, essa redução vai acontecer porque parte dos sindicatos vai se fundir a outros.

Com o início da vigência da nova lei trabalhista neste sábado (11), a contribuição sindical obrigatória, que era cobrada no valor de um dia de salário de cada trabalhador, deixa de existir e, por conta disso, deverão desaparecer mais de três mil sindicatos. A avaliação foi feita pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, em entrevista exclusiva ao G1.

Segundo Ronaldo Nogueira, os sindicatos dos trabalhadores que tendem a desaparecer são aqueles que não realizaram, nos últimos três anos, acordos coletivos, considerados por ele como uma das "razões fundamentais da organização sindical".

"A grande realidade é que o movimento sindical no Brasil vai ter de olhar para dentro e vai ter de se reconstituir no sentido de voltar a ter representação sindical por categoria. Para que os acordos coletivos de trabalho, que tenham força de lei, possam ser deliberados por um sindicato forte. E que realmente ofereça uma contraprestação ao trabalhador, que vai contribuir com alegria", declarou.

Atualmente, segundo o ministro, há cerca de 16,8 mil sindicatos no Brasil, dos quais 5,1 mil são patronais. O restante, cerca de 11,3 mil, representa os trabalhadores.

Useful links