Como a BBC fez um projeto de jornalismo colaborativo focado em notícias locais


No Reino Unido, editores de jornais estão fazendo uma parceria para “salvar a democracia” no país

Em junho, 3 grandes jornais do Reino Unido condenaram publicamente, de forma coordenada, o tratamento preferencial do governo britânico ao sul do país como forma de lidar com a crise nacional de ferrovias.

*por Tara George

Alimentados por 1 sentimento de indignação com cancelamentos e atrasos nos trens, os editores deixaram de lado anos de competição histórica e se uniram em torno da campanha #OneNorth, publicando simultaneamente, nas primeiras páginas, 1 editorial conjunto para pressionar o governo.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no seu e-mail

seu e-mail

Juntamente com alguns jornais de notícias locais, a cobertura do #OneNorth foi retomada pelo rádio e pela televisão, sendo difundida amplamente nas mídias sociais, tornando-se uma demonstração gráfica do tipo de poder de 3 concorrentes anteriores –Reach Plc., NewsQuest e Johnston Press.

Aos olhos de Jeremy Clifford, editor-chefe da Johnston Press, a campanha #OneNorth indica uma maior disposição nos últimos 18 meses entre as maiores organizações midiáticas no Reino Unido “devido à percepção de que temos mais em comum de que o que nos divide em relação a competir uns com os outros”.

De fato, o clima mudou a tal ponto que não só essas empresas jornalísticas privadas encontraram oportunidades para trabalhar juntas, mas também viram o benefício em se unir para colaborar com o “Golias” do jornalismo britânico: a emissora pública BBC (Empresa de Radiodifusão Britânica).

PARCERIA PARA SALVAR NOTÍCIAS LOCAIS
Há mais de 1 ano as empresas jornalísticas –que variam desde pequenas mídias locais até grandes empresas regionais– envolvidas na cobertura do #OneNorth estão se inscrevendo para participar de uma parceria de notícias locais que aumenta o alcance e meios da BCC de reforçar a imprensa local e fortalecer seu papel na democracia.

A abrangência do projeto é enorme e funciona como 1 serviço de transmissão para mais de 90 organizações jornalísticas que representam 800 agências de notícias em todo o país, permitindo que elas compartilhem e usem o conteúdo uma da outra. A BBC fornece a infraestrutura e promete gastar 8 milhões de libras por ano (US$ 10 milhões) na parceria pelos próximos 11 anos. A BBC é uma emissora de serviço público financiada por uma taxa de licença anual cobrada de todas as famílias britânicas que possuem uma televisão, no lugar de ser diretamente subscrita pelo governo.

1 parte do projeto é chamada de Serviço de Reportagem à Democracia Local, que contrata e treina jornalistas locais para que cubram o governo local e outras organizações públicas. Nenhum fogo, nenhum crime, nenhum tribunal; os repórteres cobrem, principalmente, reuniões e eventos comunitários e cívicos. São contratados localmente pelas organizações de notícias parceiras, mas seus salários são pagos pela BBC.

Também existe 1 Hub de Notícias, que dá acesso às empresas locais e regionais envolvidas na parceria aos áudios e vídeos da BCC.

“Esse nível de cobertura nunca foi realizado por nenhuma agência de notícias”, disse Matthew Barraclough, responsável por supervisionar o projeto para a BBC. Até o momento, a parceria produziu mais de 35.000 histórias. A previsão é de que chegue a 1.000 ou 1.500 histórias por mês.

O incentivo para a realização do projeto, segundo Barraclough, foi a realização compartilhada pela BCC e pela News Media Association, órgão comercial para os editores ingleses, em que o número de jornalistas locais e regionais caía na última década e, junto a isso, a avaliação do governo local e regional.

Fazer o projeto funcionar foi 1 processo de várias etapas, de acordo com Barraclough, que tem trabalhado na criação da parceria desde 2015. Primeiro, ele teve que solicitar e depois examinar as empresas jornalísticas de todo o país que demonstraram interesse em participar, abrindo as portas para a parceria em maio de 2017. Ele diz que 800 veículos se uniram muito rapidamente, pois muitos dos jornais regionais e locais são de propriedade de 3 grandes editoras.

Então, para criar a infraestrutura tecnológica, eles recorreram ao StreamANG, que já estava sendo usado pela BCC para obter conteúdo que seria entregue aos seus parceiros globais, como parte do serviço mundial da empresa. Enquanto isso, materiais de vídeo e áudio locais, produzidos pela BBC, tiveram que ser marcados com o logotipo e personalizados para o projeto.

Em seguida, eles tiveram que organizar a contratação de Repórteres da Democracia Local pelas organizações parceiros locais, para cobrir o governo da região e as demais instituições públicas. Descobrir onde alocar os repórteres foi complicado devido às demandas e exigências conflitantes de diferentes áreas, segundo ele. Na Irlanda do Norte, por exemplo, a política era um desafio. Embora a imparcialidade do jornalismo seja reconhecida no Inglaterra, a questão é mais complicada entre os norte-irlandeses, fazendo com que os veículos lá sempre contratem 2 repórteres em vez de 1: 1 republicano e 1 monarquista.

O PROJETO COMPENSA
Até o momento, 128 repórteres foram contratados, segundo Barraclough. Todos estão cobrindo decisões de governos locais que envolvem o dinheiro dos contribuintes.

Vários desses jornalistas escreveram sobre suas experiências, alguns deles notando seu espanto em como a cobertura do governo local pode ser interessante e quão importante eles sentiam que seu trabalho era para o processo democrático. As histórias muitas vezes eram coletadas e publicadas por empresas jornalísticas de todo país, assim como a BBC.

A cobertura da comunidade local é um recurso bem-vindo para editores como Anna Williams, que dirige o The Ambler Community Newspaper, 1 veículo local em Northumberland, no norte do país. Fazer parte da parceria dá acesso à cobertura de reuniões que muitas vezes as empresas não têm recursos para cobrir.

“Tem sido bastante simples e estou muito feliz por fazer parte da parceria”, disse Williams sobre a participação no LNP. “Não é realmente notícias de última hora. Nós normalmente escrevemos nossos próprios artigos, de nossa própria perspectiva, mas é bom ter uma ideia a mais do que está acontecendo nas reuniões do Conselho do Condado de Northumberland”.

Williams diz que vê ainda mais potencial na parceria ao conhecer outros editores. “Eu acho que sou do único jornal comunitário envolvido nisso nesta área –se há outros, não sei sobre eles”, disse. Suponho que esse é 1 aspecto que poderia ser pensado. Quem mais está usando o sistema?

Para Barraclough, os resultados foram gratificantes. Diz que teve um prazer particular em ver com que frequência o conteúdo produzido pela parceria chega às primeiras páginas dos jornais.

Ele diz que espera realizar uma avaliação sobre o poder público do serviço nos próximos anos para ver se é realmente legitimado e, possivelmente, pensar em expandi-lo. Por enquanto, ele espera que sirva como 1 modelo de colaboração. “Estamos fazendo algo em escala para que as pessoas possam ver”, disse.

Clifford, que preside o painel consultivo, diz que o projeto facilitou o tipo de colaboração entre empresas jornalísticas, evidenciada na cobertura da #OneNorth.

“Também aproximou a BBC do setor de mídia, financiado pelo setor privado, dando uma maior compreensão de como funcionamos, as pressões que vivemos e onde isso pode ajudar a nos unirmos, em vez de competir”, disse.

“O maior benefício é que existe 1 diálogo bom e construtivo entre a BBC e a indústria em geral, em que novas oportunidades podem ser exploradas. Usaremos o Repórteres da Democracia Local como veículo para isso e produziremos uma agenda nacional baseada em relatórios de serviço público”, finalizou.

LIÇÕES APRENDIDAS
Questionado sobre dicas para 1 possível processo colaborativo em outras empresas jornalísticas, Clifford disse:

Encontre as áreas em que você pode trabalhar em conjunto e obter confiança para que se possa seguir em frente;
Reconheça que suas empresas podem competir umas com as outras, mas identifique as áreas em que você está atuando melhor;
Explore áreas em que, juntos, vocês possam produzir um jornalismo melhor do que se atuassem sozinhos;
Além de relatar, veja os conjuntos de habilidades e pontos fortes que sua empresa possui e que possam ser compartilhados.
Clifford afirma que ele e a News Media Association pressionarão a BBC para que o número de repórteres envolvidos na Parceria cresça para 200. Ele vê potencial para futuras colaborações no futuro.

__

* Tara George é professora e chefe de jornalismo, televisão e mídia digital na Montclair State University.

__

O texto foi traduzido por Hanna Yahya.

Tradução do Nieman Lab

FONTE:

https://www.poder360.com.br/nieman/como-a-bbc-fez-1-projeto-de-jornalismo-colaborativo-focado-em-noticias-locais/

Useful links