Criando um portfólio de jornalismo apresentável em 10 minutos


Saudações, colega jornalista. Você já possui um site? Sim? Ótimo! Então pode ignorar este artigo todo.

Se ainda não possui seu próprio portfólio online, leia o restante deste artigo somente após completar o seguinte exercício de 10 minutos. Estamos falando sério.

por DEXTER THOMAS no IJNET

Faça o seguinte, agora:

Encontre as três últimas matérias que você publicou online. Abra as três em páginas separadas para que você tenha os URLs prontos.

Vá para Medium.com. Crie uma conta se já não tiver uma. Você pode simplesmente fazer login com sua conta do Facebook ou do Twitter.

Clique no botão verde para criar uma "matéria" nova. Na parte superior, digite seu nome e seu e-mail.

Logo abaixo, escreva "Trabalhos recentes" . Em seguida, em uma linha após a outra, cole as URLs do Passo nº 1. O Medium as transformará em links com legendas. Resista ao desejo de escrever descrições.

Clique em "Publish" [Publicar]. Não se preocupe, você pode editar mais tarde. Só clique sem perder tempo.

Pronto! Agora, você pode colocar esse link em seu novo portfólio no seu perfil de redes sociais: Twitter, Instagram e em sua assinatura de e-mail.

Ainda está comigo? Parabéns! Acabou de fazer seu primeiro site de portfólio. Veja aqui como deve parecer. Não é muito, mas já é mais do que muitos jornalistas já fizeram em termos de gerenciar suas próprias carreiras online. Se você quiser, pode parar de ler agora.

... Mas se quiser ir mais longe, reuni alguns pensamentos sobre portfólios de jornalistas abaixo. Tenha em mente que este artigo não é um tutorial de design de site --você pode encontrar esses em outro lugar. Este artigo é principalmente para ajudá-lo a pensar sobre o que deveria comunicar em seu portfólio em primeiro lugar.

Mas primeiro, devemos admitir o seguinte:

Seu website provavelmente não vai ser bonito
Eu sei, eu sei. O portfólio que fizemos acima não é nenhuma maravilha. Não há esquemas de cores bonitas, layouts dinâmicos ou fontes interessantes. Isso é de propósito. É para evitar que você tente flexionar os músculos de web designer que não possui.

Há um padrão estranho que acontece quando as pessoas tentam criar seu próprio site. Redatores de repente se tornam aspirantes a Rembrandts da Web, experimentando cores, fotos e até mesmo mexendo com código para criar o design perfeito. Muitas vezes, desistem e nunca publicam nada.

Você pode evitar essa armadilha ficando com o básico.

Um site de jornalistas é uma daquelas situações em que a regra 80/20 se aplica: um esforço mínimo lhe dará os resultados necessários. Se o seu trabalho for bom, tudo o que você precisa fazer é listá-lo. O ponto inteiro de um site de jornalistas é dar às pessoas uma maneira fácil de ver o seu trabalho (e, em seguida, possivelmente contratar você para trabalhar para elas).

Aliás, é por isso que um perfil de jornalista no site da sua empresa não é bom o suficiente. Quando eu comecei no Los Angeles Times, meu perfil nesse site não tinha informações sobre o meu trabalho freelance anterior --coisas de que eu estava realmente orgulhoso. E agora que não estou mais nesse trabalho, tudo o que fiz desde então não está refletido lá.

Então, sim, mesmo se você é um jornalista veterano em uma publicação tradicional e não está em busca de um emprego (ainda), você precisa do seu site próprio (agora).

Invista pouco tempo
Então, qual é a melhor maneira de criar um site? Você deve fazer por conta própria ou usar um serviço? Bem, depende de como você valoriza seu tempo. Seja honesto consigo mesmo: você está disposto a gastar seus próximos três fins de semana desvencilhando código? Ou seria melhor gastar seu tempo fazendo outra coisa?

Com isso em mente, aqui estão alguns dos meus serviços favoritos, em ordem de complexidade:

Distilled.me - só lhe dá um parágrafo. As limitações são boas. Gratuito.
Contently.com - cola links de artigos em uma longa lista/grade. Gratuito.

About.me - uma única página apenas. As limitações são boas. Gratuito ou US$79 por ano para opções premium como um URL.

Medium.com - cola qualquer texto ou multimídia em uma única página longa. Gratuito.

Squarespace.com - popular, com boas opções para jornalistas fotográficos/visuais, mas um pouco pesado e propenso a ajustes excessivos. US$144 por ano.

Tumblr.com - realmente bastante útil (se está acostumado com o Tumblr), mas você pode se perder em ajustes e personalização. Gratuito, mas você pode gastar dinheiro em modelos.

WordPress.com - o mais personalizável, que para a maioria das pessoas é uma coisa ruim. Gratuito, mas você pode gastar dinheiro com modelos ou outras opções.

Sim, se você usar algumas das opções do alto da lista, terá um site de aparência básica, ou mesmo um que parece ser de outra pessoa. Mas quem se importa? Enquanto você tiver algo online, seu site está fazendo o que deve fazer. Agora você pode voltar ao seu trabalho.

Se é imperativo por algum motivo que você tenha o site mais exclusivo e lindo do mundo, existe uma solução simples: encontre um designer gráfico e pague para que seu site seja bonito. Entre consultoria, revisões e outras despesas, você pode esperar pagar cerca de US$1.000. Qualquer coisa menos do que isso provavelmente não valerá a pena o seu dinheiro.

Agora seguimos para a próxima revelação decepcionante:

Você (quase) nunca vai atualizar seu site
Existe uma razão para mais pessoas terem contas no Twitter do que blogs. Atualizar um site, mesmo um fácil de usar, é uma chatura. Então, você provavelmente não fará isso muitas vezes.

A maneira mais fácil de contornar isso é fazer um site de portfólio que seja perene -- por isso, mesmo se você não o toca por um tempo, não parece que o abandonou. Eu fiz o meu primeiro em 2011 e não fiz nenhuma atualização importante até que o serviço que eu estava usando encerrasse suas atividades (no último mês).

Aqui estão cinco coisas que você pode fazer agora para garantir o seu site no futuro:

Escreva apenas uma biografia/descrição básica: de onde você é, seu título de trabalho, alguns prêmios/elogios, o que você gosta de escrever/fazer. Nada que seja desatualizado em seis meses.

Obtenha uma foto decente de si mesmo. Por enquanto, basta pegar sua foto de perfil do Facebook. Você pode trocá-la por outra mais tarde se quiser. (Nota: uma foto muito boa de rosto pode ser feita se você tiver um amigo que esteja disposto a tirar sua foto sob uma iluminação decente.)

Coloque links apenas para o seu melhor trabalho. Escolha as três matérias das quais você mais se orgulhou nos últimos dois anos e escreva uma descrição rápida de cada uma. Sempre que você faz um trabalho particularmente impressionante, inclua-o. Mantenha no máximo cinco matérias.

Se você usa um serviço que permite, use um formulário de contato. Dessa forma, se mudar de e-mail, nada se perderá. Isso também tem o bônus de ajudar a evitar spammers ou trolls.

Se você usar um serviço que permite (por exemplo, Squarespace), use complementos que sincronizem sua atividade no Twitter, Instagram, etc. Se ser ativo online é parte do seu #brand, esta é uma maneira de divulgação de pouca manutenção, porque sempre está sincronizado com seu site.

Algo sobre esse último ponto: na maioria das vezes, o trabalho do seu site é mostrar a melhor parte sobre você. Mas se você sempre está enviando pessoas para outros sites através de seus links de portfólio, as chances de eles se distraírem aumentam. Então, se você está procurando oportunidades de emprego ou freelancer, não é uma má ideia encorajar as pessoas a ficarem em seu site por um tempo. Isso funciona como um impulso extra para que entrem em contato com você.

Crédito extra: Duas ferramentas adicionais que eu gosto
Eu sei que o artigo acima é um pouco nebuloso e não contém quase nenhum know-how técnico. Novamente, isso é de propósito: prefiro que você crie um perfil rápido e simples no Medium e se esqueça de atualizá-lo até o próximo ciclo eleitoral do que mergulhar de frente para as complexidades do WordPress por três semanas e nunca produzir coisa nenhuma.

Mas se você está procurando dar um passo além em sua presença online, considere se inscrever nestes recursos:

Contently - mencionado acima, mas também funciona como um complemento para um site mais personalizado. Contently é um ótimo serviço de portfólio, especialmente para pessoas que fazem freelance ou trabalham para várias publicações. Também é bastante fácil de atualizar: tudo o que você precisa fazer é colar um link, e ele (geralmente) analisará o título, a imagem do cabeçalho e a publicação do post. Então, em seu site, você pode colocar links de três a cinco artigos favoritos e daí incluir um link "leia mais aqui" para sua conta no Contently.

Vizualize.me - Se você tiver uma conta no LinkedIn, este serviço analisará seu perfil e criará uma infografia muito boa do seu histórico e das realizações do seu trabalho. É um pouco confuso, mas é uma ótima maneira de apresentar seu currículo. Aqui está o meu.

Imagem sob licença CC no Flickr via Cjames Fotografia

FONTE E LINKs AQUI:

https://ijnet.org/pt-br/resource/criando-um-portf%C3%B3lio-de-jornalismo-apresent%C3%A1vel-em-10-minutos

Links de Notícias