EXTREMA DIREITA SE CONSOLIDA, JUDICIÁRIO AJUDA BOLSONARO E ELEITORES RESISTEM AO TAPETÃO ANTI-LULA


Por Mário Magalhães no The Intercept Brasil

A COPA QUE COMEÇA AMANHÃ em Moscou, com o jogo entre a equipe da casa e a Arábia Saudita, evoca um causo delicioso do futebol. Imprimiram a lenda segundo a qual no Mundial de 1958, na preleção antes da partida da seleção brasileira contra a União Soviética, o técnico Vicente Feola ensinava o time a furar a defesa oponente.

O Garrincha, entre palerma e sonso, teria perguntado: o senhor já combinou com os russos? A historinha é boa, porém ficcional. Biógrafo do Mané, Ruy Castro consultou testemunhas da conversa. Todas esclareceram que a frase é fantasia; ninguém a pronunciou. Vencemos por 2 a 0, gols do Vavá.

Quem se esqueceu de combinar com os russos foram os formuladores dos prognósticos de declínio acentuado da influência de Lula na eleição de outubro. Quer dizer, esqueceram-se de combinar com os brasileiros. O Datafolha acaba de mostrar que o ex-presidente, preso desde 7 de abril, permanece líder na intenção de voto. O petista ponteia com folga, 30%. É seguido por Jair Bolsonaro (17%), Marina Silva (10%), Ciro Gomes e Geraldo Alckmin (6% cada um) e Álvaro Dias (4%).

Em dois cenários sem o ex-torneiro mecânico, o capitão da reserva do Exército é o primeiro, com 19%. No entanto, a categoria “sem candidato” (nulo, branco, nenhuma opção ou não sabe) o supera, com 33%. Nessas simulações, experimentaram os nomes de Fernando Haddad e Jaques Wagner. Os correligionários de Lula não ultrapassaram a marca de 1%. É evidente como a cara enfezada do Canarinho Pistola que a esmagadora maioria dos entrevistados não os associou ao sucessor de Fernando Henrique Cardoso.

De acordo com o Datafolha, 30% dos eleitores votariam com certeza num candidato indicado por Lula; 17% talvez votassem. Nada assegura que intenção vire voto. Mas há indicação de transferência robusta. A corretora XP Investimentos encomendou pesquisa ao Ipespe. Sem Lula na disputa, o ex-prefeito Haddad amealhou 3% das preferências. Quando apresentado como candidato apoiado pelo ex-presidente, ascendeu para 11%.

CONTINUE LENDO AQUI:

https://theintercept.com/2018/06/13/direita-bolsonaro-lula-judiciario/

Useful links